Governo faz campanha para tomar liderança de igrejas cristãs

A polícia do Sudão deteve para interrogatório oito líderes de uma igreja nos últimos dois meses. Um deles foi o pastor principal, Mahjoub Abotrin, preso em sua casa em Omdurman, próximo à capital Cartum, no dia 22 de setembro. Após ser interrogado, ele foi liberado. Ainda não está claro se o pastor foi acusado de algum delito. Mas subentende-se que ele tenha sido preso por ter se recusado a passar a liderança da denominação para oficiais nomeados pelo governo.

Também em setembro, quatro membros da comissão de liderança dessa mesma igreja foram ameaçados por oficiais da segurança. Os oficiais disseram que eles podiam esperar porque seriam acusados pelo fato de terem se recusado a passar o prédio do escritório da igreja para um comitê do governo.

O líder de missões da igreja, Rev. Kuwa Shamal, disse: “Nós não podemos permitir que eles [os governantes] tomem conta da igreja”. Ele é um dos líderes que ficou preso por um dia no mês de agosto. Entre os detidos, estavam o moderador da igreja, Rev. Ayoub Mattan, o secretário de finanças, Abdulbagi Ali Abdulrahaman, seu vice, El-Amin Hassam Abdulrasool, e outros dois líderes, Yagoub Naway e Musa Kodi. Os homens foram interrogados e liberados sob fiança.

Comitês nomeados pelo Estado têm tentado destituir a liderança da igreja e muitas denominações no Sudão estão lutando contra os esforços do governo de tomar o controle dos assuntos da igreja. É nítido que as autoridades sudanesas estão empenhadas em uma campanha de intimidação contra a minoria cristã no país. Para tanto, usam do confisco gradual de suas propriedades. A perseguição aos cristãos patrocinada pelo Estado aumentou no Sudão desde que o sul, de maioria cristã, se separou do norte, majoritariamente muçulmano, em 2011.

Fonte: Missão Portas Abertas

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.